Aprenda a encontrar os aromas dos vinhos - Blog Santa Augusta

Aprenda a encontrar os aromas dos vinhos

Sempre que a maioria das pessoas vai a uma degustação de vinhos, é comum se ouvir do sommelier termos como: frutado, amadeirado, encorpado, cítrico e muitos outros. Mas para muita gente, é difícil sentir de maneira consistente e facilitada os sabores dos vinhos. Foi pensando em facilitar esse processo, que vamos ensinar hoje, algumas técnicas para que você comece a distinguir as mais variadas características dos vinhos. Confira!

Sabores dos vinhos: Um guia para sentir e diferenciar

Antes de mais nada, é preciso sinceridade. Encontrar os sabores dos vinhos não é uma tarefa tão simples e vai muito além de apenas “engolir” a bebida. O vinho é uma bebida única e diferenciada, pois requer destreza tanto do olfato, quanto do paladar. E esses são as duas habilidades observacionais do ser humano, menos valorizada.

Os aromas são subdivididos de acordo com as etapas de produção a quais são submetidos.

Aromas primários: Proveniente dos vinhedos. Remete principalmente a flores e frutas.

Aromas secundários: Proveniente da fermentação, nos quais remete aromas ligados às leveduras e panificação.

Aromas terciários: Provenientes do amadurecimento em barricas de carvalho e oxidação.

Tendo isso em mente, separamos algumas dicas que serão muito úteis para guiar você nessa jornada.

1. Busque uma taça apropriada e sinta os aromas

Algo importante de ser dito sobre vinho, é que se trata de uma bebida que deve ser servida e consumida em uma taça. Não em um copo ou canecas por exemplo.

O primeiro passo para sentir os aromas dos vinhos é servir cerca de 75 ml em uma taça. Essa quantidade, é suficiente para sentir os aromas.

Comece agitando a taça. Em seguida feche os olhos e inspire devagar e de modo deliberado. Manter os olhos fechados ajuda a separar o que você cheira e o que você vê. De repente, você não estará mais cheirando um vinho e sim, “alguma coisa”.

O ser humano possui uma memória olfativa e ao cheirar o vinho é possível notar algo que conheça, que tenha alguma familiaridade ou que remeta a algo que já tenha experimentado e sentido. Vinhos de alta qualidade, possuem aromas complexos, todos juntos. Já, os vinhos de qualidade inferior, são mais simplistas em perfil de aroma e sabor.

2. Sentido os sabores de frutas

Se um vinho tem em sua descrição o termo frutado, então ao cheirá-lo e consequentemente degustá-lo, se concentre em encontrar odores e sabores de frutas.

Sendo assim, busque em sua memória olfativa os seguintes aromas de frutas no vinho:

  • Frutas cítricas, como: limão, lima e laranja;
  • Frutos de árvores, como: maçã, pera, pêssego;
  • Frutas tropicais, como: manga, abacaxi e lichia;
  • Frutas vermelhas, como: morango, ameixa, framboesa;
  • Frutas pretas, como amora, jabuticaba e mirtilo.

3. Sabores florais, de ervas e especiarias

Compostos aromáticos de plantas, ervas e especiarias também são comuns nesse tipo de bebida. Vinhos Pinot Noir são exemplos clássicos disso.

Por isso, quando for degustar um vinho com essas características, tende sentir os seguintes aromas:

  • Aromas florais, como: rosas, sabugueiro, violeta e hibisco;
  • Aromas do tipo chá, como: chá preto, chá branco, Darjeeling, chá verde, Matcha, Rooibos e Earl Grey;
  • Odores mentolados, como: hortelã, hortelã-pimenta, eucalipto, mentol, sálvia, erva-doce e verdura de inverno.
  • Notas de ervas, como: folha de tomate, tomilho, arruda, orégano, alecrim e manjericão.
  • Aromas de especiarias, como: canela, pimenta preta, pimenta vermelha e anis.

4. Aromas terrosos, minerais e outros

O processo de fermentação também desbloqueia aromas complexos do vinho, trazendo a tona uma série de sabores e cheiros interessantes.

  • Quando for degustar um vinho terroso ou mineral, busque pelos seguintes aromas:
  • Aromas da terra, como: panela de barro úmido, terra, beterraba e cogumelos;
  •  Aromas de fermento, como: cerveja, fermento, chocolate ao leite, cacau em pó;
  • Aromas rústicos, como: couro curtido, couro velho, cardamomo preto, carne curada e tabaco; 
  • Aromas minerais, como: cascalho úmido, ardósia, petróleo e rochas vulcânicas.

5. Aromas provenientes do envelhecimento

E por fim, temos os sabores dos vinhos provenientes do processo de envelhecimento. Passado o processo de fermentação, o envelhecimento, que inclui o regime de oxidação em barris de carvalho, também adiciona sabores ao vinho.

O processo de envelhecimento pode conferir as seguintes notas de sabores aos vinhos:

  • Envelhecimento no carvalho pode conferir aromas como: Baunilha, pimenta jamaicana, cravo, coco, cedro, charutos e endro;
  • Envelhecimento por oxidação adiciona odores como: avelã, tabaco, frutas secas, chocolate amargo, couro, manteiga dourada e maçã assada.

Como colocado, no início desse artigo, encontrar os sabores dos vinhos não é algo simples, mas pode ser aperfeiçoado. Para isso, basta apenas exercitar o olfato e o paladar.

Como dispomos de vários rótulos, que tal começar estes exercícios agora mesmo? Clique aqui, para adquirir nossos produtos e se tornar um verdadeiro sommelier.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

qualidade

Garantida

entrega rápida

Em até 7 dias úteis

ATENDIMENTO

Especializado

SEGURANÇA

Na compra