Entendendo o rótulo de um vinho

As quantidades de informações contidas em rótulos de vinhos variam entre os produtores e entre os países de origem. Algumas são imprescindíveis e é interessante entender a mensagem por elas transmitida.

O rótulo não substitui a prova do vinho, mas é uma das principais fontes de informação que auxiliam na escolha. Pode ser considerado a identidade do vinho e tem o objetivo de informar ao consumidor tudo o que interessa na bebida: país produtor, vinícola, variedades de uvas, safra, teor alcoólico, volume, etc. 

Pode ser considerado um elo de comunicação entre o produtor e o consumidor do vinho. Regidos por leis governamentais, contêm informações obrigatórias regulamentadas por órgãos oficiais do governo de cada país.

O conteúdo dos rótulos

O nome do vinho sempre está presente, pois é a marca do produtor e pode trazer também o nome ou símbolo da empresa produtora além do nome fantasia que indica o vinho. O nome da uva com a qual o vinho foi elaborado aparece em vários rótulos sem que sua presença seja obrigatória. 

Alguns constam que são feitos de mais de um tipo de uva citando as que compõe o produto. Outros nem mesmo fazem alusão, pois algumas regiões tradicionais são conhecidas mundialmente sem necessitar citar as uvas.

A safra, ano em que o vinho foi elaborado, se refere ao ano em que as uvas foram colhidas e não quando o vinho foi considerado apto a ser engarrafado, que pode ocorrer vários anos após a colheita. Pode ocorrer que não exista indicação do ano, isso acontece porque podem ser produzidos a partir da mistura de vinhos provenientes de uvas colhidas em anos diferentes.

Grau alcoólico (oGL) e o volume de líquido existente na garrafa são obrigatórios na maioria dos países em que os vinhos sofrem fiscalização. A quantidade de álcool é uma informação importante para que o consumidor possa optar no momento da escolha por um vinho mais ou menos alcoólico. 

É o teor alcoólico, que determina o percentual do volume de álcool no vinho, quanto maior, mais forte a bebida. Enquanto que o volume expresso em mililitros assegura que a quantidade indicada deve estar contida na garrafa.

O nome da região em que foi produzida ou uma característica que indique a procedência é uma informação adicional que pode constar o país, a região, a denominação de origem, uma associação ou uma característica geográfica, como a altitude, que indica ao consumidor a procedência do produto.

Informações adicionais

Existem outras informações mais detalhadas como Classe, que diz se o vinho é fino, licoroso, espumante, etc. Outra indicação é sobre o teor de açúcar existente nos vinhos, se seco, meio seco, ou doce e que determina uma grande separação entre os tipos de vinho.

No contra rótulo, que fica atrás da garrafa, também podem existir algumas informações importantes para o consumidor, como a composição do vinho, o número de lote da garrafa e a razão social do seu produtor, além de identificação e endereço do importador, se for o caso.

Podemos dividir os tipos de rótulos pelas informações mais salientes contidas: por variedades de uvas, por região ou por nomes.

Aproximadamente 75% dos vinhos chilenos, brasileiros e da América do Norte colocam as variedades nos rótulos. Já os franceses, italianos, espanhóis e portugueses em sua maioria colocam com ênfase a região de produção. 

Gostou deste artigo? Tem algum outro assunto que você tem dúvida e queira que falemos dele? Conta pra gente nos comentários. E não esqueça de compartilhar em suas redes sociais!

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin