Os tipos de uva, seu cultivo e finalidade

A uva é o fruto da videira que tecnicamente é um arbusto trepador que se fixa facilmente a qualquer tipo de suporte em busca de luminosidade.

Produz frutos que possuem as características para serem consumidas como uva de mesa ou estar na origem de bebidas, como o suco, o vinho, o espumante ou o destilado.

Basicamente existe uma grande divisão em 4 blocos de acordo com suas origens. Vamos conhecer quais são os tipos de uva, seu cultivo e finalidade, continue lendo este artigo.

Origem americana

Variedades originárias da América do Norte como a Isabel, a Bordo, a Concord e outras. São videiras rústicas, tolerantes a umidade do clima e a algumas doenças fúngicas.

São de grande produtividade. Suas uvas são utilizadas para consumo como uva de mesa.

Quando industrializadas são as responsáveis pelos melhores sucos de uva do mundo, além de  produzirem vinhos de mesa denominados de comuns, os tradicionais vinhos de garrafão. São as uvas mais cultivadas no Brasil.

Berço europeu

Variedades de origem europeia, as Vitis viníferas, podem ser produtoras de uvas de mesa, como a Itália, conhecida como dedo de dama e a Rubi, ou produtoras de vinhos como as famosas, Cabernet sauvignon, Merlot, Chardonnay, Sauvignon blanc, Moscatos e Pinot noir entre outras tantas que mundialmente são utilizadas para produzir vinhos e espumantes denominados de finos.

Estas variedades são de difícil cultivo, baixa produtividade e necessitam de condições especiais de clima para que seus frutos possam dar origem a produtos diferenciados.

Criadas pela mão do homem

Como o ser humano é incansável na busca de saciar seus desejos, ao longo do tempo, foram criadas através de cruzamentos entre espécies, as variedades híbridas de americanas surgindo desta forma a Niágara, a Dona Zilá e outras tantas que fornecem matéria prima para consumo in natura e para a produção de vinhos e espumantes.

Dentro da mesma linha foram criadas variedades híbridas provenientes de cruzamentos entre espécies europeias e americanas, procurando mas nem sempre conseguindo, buscar a rusticidade de umas e a qualidade de outras, surgindo entre muitas a Goethe, a Moscato Embrapa, a Couderc, a Seibel, etc.

Entre estas variedades as que merecem maior foco são sem dúvida as variedades europeias as quais estão na base dos vinhos e espumantes mais renomados do mundo e que em locais adaptados ao cultivo produzem produtos de excelência em nosso país e em nosso estado.

Aptidão de cada tipo de uva de acordo com os produtos obtidos:

Uma outra subdivisão utilizada é baseada na coloração das uvas e nos tipos de vinhos que elas podem dar origem.

Os vinhos tintos têm sua coloração devido ao contato com as cascas das uvas no momento da elaboração.

As cascas liberam pigmentos coloridos, portanto somente uvas tintas fornecem matéria prima para produção de vinhos tintos, mas a separação das cascas antes de que elas transmitam a coloração escura ao produto permite fazer excelentes vinhos rosés e até alguns brancos.

Algumas uvas tintas são particularmente aptas a produzir vinhos espumantes rosés e participar de alguns brancos com o objetivo de fornecer estrutura aos produtos.

As principais uvas cultivadas

Cabernet Sauvignon

Provavelmente é a uva mais conhecida e difundida na atualidade. Originária da França na região de Bordeaux, se encontra cultivada em praticamente todo o mundo vitícola.

Tem características marcantes lembrando algumas frutas vermelhas escuras como a ameixa preta, a cereja e a groselha.

Pode apresentar notas de couro, tabaco e vegetais, com destaque para o aroma de pimentão, particularidade que a distingue independentemente de onde for cultivada.

É utilizada basicamente para elaboração de vinhos tintos, e muito raramente vinhos rosés.

Merlot

Outra uva cuja origem é a região de Bordeaux na França. Seu cultivo é de mediana dificuldade pois se adapta bem a diversos tipos de solo e clima.

Se caracteriza pela produção de vinhos macios e redondos, quando jovens. Tem um bom potencial de envelhecimento e em alguns casos produz vinhos tintos excepcionais.

Sua componente aromática inclui frutas escuras como ameixa e jabuticaba e ervas como o alecrim e o orégano podendo até lembrar algumas especiarias como a canela e a noz moscada, dependendo dos locais onde é cultivada e da forma como os vinhos são elaborados.

Seus vinhos rosés podem ser elegantes e em alguns casos até mesmo fornecer matéria prima para espumantes rosés de boa delicadeza.

Pinot noir

Originária da França na Bourgogne. É uma espécie de difícil cultivo por apresentar cachos compactos.

É cultivada em vários países e suas características de leveza e elegância pode ser observada tanto nos vinhos tintos quanto nos rosés a que se presta muito bem.

Aromaticamente é marcado pela perfeita combinação de aromas de frutas frescas (morango, framboesa, amora e cereja) com flores (violeta e rosa) podendo dar lugar a especiaria como o anis e aromas terrosos, lembrando cogumelos ou raízes.

É de suma importância na elaboração de grandes vinhos espumantes por emprestar corpo, classe e estrutura, neste caso normalmente é vinificada em branco, ou seja, separando as cascas rapidamente antes da transmissão de coloração.

Malbec

Originária da região de Cahors, na França, também participa na composição de alguns vinhos de Bordeaux, mas ganhou notoriedade mundial na Argentina onde apresenta características particulares de vinhos fortes e encorpados.

De boa produtividade e relativamente fácil cultivo vem ganhando espaço na produção de diversos países.

O Malbec possui um aroma que recorda frutas de coloração forte, tais como cerejas maduras, ameixas, morangos e em alguns casos anis. Além disso, este vinho pode mostrar um certo aroma floral como o de violetas.

Quando vinificados com esmero podem fornecer vinhos rosés de incrível delicadeza.

Chardonnay

Entre as principais uvas brancas  sem dúvida a Chardonnay, que é denominada rainha das uvas, é o expoente principal.

Originária da Bourgogne, onde produz os mais renomados vinhos brancos, encontra em champagne e outras regiões produtores de espumantes no mundo uma grande importância devido a transmissão de classe e elegância aos produtos.  

É uma variedade de difícil cultivo mas que graças a suas características compensa as dificuldades agronômicas com produção de vinhos longevos e equilibrados.

Expressam aromas de flores brancas como as acácias e jasmins, mas também de avelãs, amêndoas e minerais. Podem trazer notas de amanteigados e cítricos quando o vinho é jovem.

Sauvignon Blanc

Também Francesa encontrou morada em vários locais no mundo vitícola onde apresenta características extremamente influenciáveis pelo meio.

Apresenta boa produtividade e é medianamente sensível ao ataque de doenças fúngicas.  Seus aromas normalmente de boa intensidade podem variar de maracujá a abacaxi em calda com uma pitada de vegetal em certas ocasiões.

Utilizada basicamente para produção de vinhos brancos aromáticos.

Moscatos

É uma grande família de uvas que inclui algumas variedades como a de Alexandria, Lipari, Bianco , etc.

Utilizada para elaborar vinhos brancos aromáticos tem seu maior exponencial na produção de espumantes tipo moscatel onde desenvolvem aromas de damasco, pêssego, nectarina e alguns florais intensos como do jasmim.

Característica marcante dos Moscatos é a ocorrência de aromas da própria uva que permanece presente tanto nos vinhos como nos espumantes.

Você gostou de conhecer sobre variados tipos de uvas, como são cultivados e quais os produtos feitos com elas? Então compartilhe esse conteúdo com seus amigos, nas redes sociais!

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin